Investigação sobre as plantas

Uma investigação multidisciplinar

Investigadores convictos dos benefícios do mundo vegetal

recherche-plantes.jpg


Convictos que as cerca de 250 000 plantas com flor já identificadas, e as que estão por analisar apresentam potenciais benefícios para a saúde e beleza, os Laboratórios Pierre Fabre tornaram as substâncias vegetais num eixo importante da sua investigação. Para o grupo Pierre Fabre, as plantas são uma fonte de investigação científica pluridisciplinar que visa o aperfeiçoamento de ativos vegetais originais que poderão ser utilizados de forma transversal na área do medicamento, da saúde familiar ou da dermocosmética.

As plantas: fontes de investigação

O conhecimento aprofundado das plantas

plante-echantillon.jpgA descoberta de um novo ingrediente ativo vegetal passa, em primeiro lugar, pelo conhecimento aprofundado da planta da qual se extrai esse ingrediente ativo. Os nossos especialistas botânicos estudam as plantas que podem ter interesse terapêutico ou dermocosmético. As plantas em estudo pelos investigadores resultam de conhecimentos multidisciplinares que integram a química, a quimiotaxonomia, a epidemiologia, a crivagem de alto débito, mas também de pesquisas específicas ou propostas de parceiros externos. Tanto no fornecimento de plantas e suas amostras como nos trabalhos de investigação, os nossos procedimentos são efetuados respeitando as normas de acesso à biodiversidade e à sua utilização. O fornecimento de amostras de plantas para a I&D são objeto de um contrato com o fornecedor.

Os Laboratórios Pierre Fabre possuem mais de 15 000 amostras de plantas, facto que constitui a mais importante coleção privada do mundo.

Aproximadamente 40% do nosso volume de negócios provém de produtos cujos ingredientes ativos têm origem no património vegetal.

Todos os anos se desenvolvem 3 a 5 novos ingredientes ativos vegetais e extratos vegetais.

São lançados anualmente 2 a 3 produtos cujo ingrediente ativo tem origem no património vegetal.

A descoberta de um novo ativo

Validar uma potencial atividade

recherche-vegetale.jpgA atividade de moléculas ou extratos resultantes de uma planta é detetada durante as investigações preliminares. Em seguida, são efetuados ensaios de investigação de atividade biológica à planta para validar esta atividade potencial. Depois de detetada e comprovada a atividade, é necessário determinar quais são, exatamente, nesta planta a ou as moléculas ou o extrato responsável por esta atividade.

Paralelamente a estas vias de investigação, graças a tecnologias modernas, é possível identificar num vasto conjunto de plantas as que possuem uma atividade associada a um objetivo terapêutico concreto. Estas técnicas modernas, designadas por crivagem robotizada de alto débito, são utilizadas pela Unidade de Serviços e Investigação, uma unidade mista constituída entre a Pierre Fabre e o CNRS, instalada no Centro de Investigação Pierre Fabre no Oncopole em Toulouse.

Isolar um ingrediente ativo

Garantir a qualidade dos extratos vegetais

extraction.jpgA atividade de uma planta é suportada por uma ou várias moléculas presentes na mesma. O nosso objetivo é identificar estas moléculas e garantir que estarão presentes no extrato vegetal obtido a partir da planta. Para isso, são desenvolvidos métodos para isolar e identificar as moléculas responsáveis pela atividade, é validado um processo de extração que garanta um teor constante de moléculas ativas em todos os lotes fabricados, e é definido um método de avaliação que permita garantir, no que diz respeito à qualidade, a reprodutibilidade da quantidade das referidas moléculas nos extratos fabricados.

Investigação agrónoma

Determinar a planta mais rica em moléculas ativas

calendula.jpgDepois de identificada a planta e descoberto o ingrediente ativo na origem da sua atividade, os nossos investigadores determinam e selecionam a variedade desta planta que será mais rica em moléculas ativas. Em seguida, definem os métodos de cultura e colheita a realizar para obter a melhor produção de ingredientes ativos. Todos estes dados servem de base ao caderno de encargos que implementamos nas nossas produções agrícolas ou nas dos nossos parceiros agricultores.