Parcerias de investigação

A inovação aberta

partenariats-recherche.jpg

Em termos de investigação, a Pierre Fabre privilegia sempre uma abordagem em conjunto com os parceiros, por estar convencida de que a complementaridade e a partilha de competências são um dos aceleradores de inovação. A nossa parceria histórica com o CNRS no desenvolvimento da vinorelbina (Navelbine), o primeiro citotóxico lançado pela empresa em 1989, é representativa desta abordagem. Há vários anos, a última estruturou-se em redor de parcerias com várias Instituições Públicas de Investigação francesas (INSERM, CNRS, CEA, etc.), assim como com empresas biotecnológicas inovadoras. Esta estratégia de "inovação aberta" visa dinamizar e acelerar a nossa atividade de investigação e desenvolvimento. 

Parceiros públicos

cnrs.jpg

A Pierre Fabre desenvolveu uma longa história de colaboração com o CNRS, Faculdades e Universidades francesas e os organismos públicos de investigação (INSERM, CEA). Esta colaboração traduz a complementaridade entre os nossos conhecimentos respetivos: investigação fundamental para o CNRS, investigação com fins terapêuticos para a Pierre Fabre. Em janeiro de 2011, e pela terceira vez, foi renovado o contrato de parceria entre o IRPF e o CNRS. A estrutura mista visa o desenvolvimento de novos candidatos a medicamentos, que actuam na regulação do processo epigenético de células malignas. (www.etac.cnrs.fr)

A Pierre Fabre e o CNRS são também parceiros no âmbito do Observatório Oceanológico de Banyuls sur Mer, através de uma Equipa Mista de Investigação (CNRS, Universidade Pierre et Marie Curie, Pierre Fabre) que se dedica à investigação em biotecnologias marinhas.

Parceiros privados

As nossas equipas de I&D interagem também com outros laboratórios da indústria farmacêutica que dispõem de recursos tecnológicos, humanos e financeiros para concluir o desenvolvimento de moléculas ou anticorpos monoclonais resultantes da investigação da Pierre Fabre.

  • Em 2010, celebrou-se um acordo de licença com o laboratório Abbott para o desenvolvimento de um anticorpo monoclonal que tem também perspetivas muito positivas na área da oncologia.
  • Em 2015, concretizou-se uma parceria mundial com a Array BioPharma Inc. relativamente ao desenvolvimento e comercialização de duas moléculas inovadoras em oncologia e que se encontram num estado avançado de desenvolvimento: binimetinib e encorafenib (melanoma, carcinoma colo-rectal e cancro do ovário).

Parcerias 2015