Química verde

Para uma redução do impacto ambiental

chimie-verte-2.jpgDesenvolvida no início da década de 1990, a química verde visa conceber produtos e processos químicos que permitam eliminar ou reduzir a utilização e a síntese de substâncias potencialmente prejudiciais para o homem e para o meio ambiente. A química verde está baseada em 12 princípios que o Grupo Pierre Fabre aplica no desenvolvimento e implementação das suas atividades.

A sua aplicação aos nossos procedimentos

substances-naturelles2.jpg

Aplicamos os princípios desta química «sustentável» a todas as nossas atividades químicas e procedemos à sua implementação logo que possível, da conceção ao processo industrial final. Aplica-se ao estudo de todos os nossos procedimentos: extração vegetal, hemissíntese, purificação das moléculas ou síntese orgânica. O nosso objetivo é eliminar ou reduzir o impacto ambiental dos procedimento desde o seu início.

Para otimizar este objetivo, as nossas equipas da Gaillac trabalham em diferentes inovações tecnológicas (cultura celular vegetal, fluidos supercríticos, intensificação dos processos).

nossa política quanto à escolha de solventes

Implementámos uma política relativa à escolha de solventes que permite industrializar os processos com impacto nulo ou limitado: a escolha dos solventes é feita segundo as suas características, e também pela nossa capacidade de realizer a sua reciclagem ou revalorização no final do processo. Com a redução do seu consumo, obtemos um ganho ambiental e económico.

Um cluster de química verde na região Midi-Pyrénées

cluster_chimie_verte.pngA União das Indústrias Químicas da região Midi-Pyrénées lançou o seu cluster de química verde no ínício de 2014, criando uma ligação próxima entre empresas e laboratórios de investigação para ajudá-los a gerar novos projetos de inovação integrados no desenvolvimento sustentável.

Os Laboratórios Pierre Fabre são cofundadores deste cluster.
O Cluster de Química Verde constitui uma ferramenta eficaz que permite cruzar as fileiras regionais entre elas para sensibilizar os agentes e proceder ao seu acompanhamento a assumir uma parte significativa de mercados emergentes, quer sejam locais, nacionais quer mundiais.